Tempo
Operação Calabar prende 8 Guardas Civis por infrações penais
05/10/2019

Polícia Civil cumpriu 8 mandados de prisão e 16 mandados de busca e apreendeu armas, munição e entorpecentes, no maior escândalo envolvendo a Guarda Municipal

  

Oito guardas civis municipais foram presos na manhã da última terça-feira (1º) em Bebedouro, durante a Operação Calabar deflagrada pela Delegacia Seccional de Polícia de Bebedouro com apoio do Ministério Público Estadual., por suspeita de infrações penais, como se apropriar de drogas e dinheiro apreendidos.

Os servidores públicos municipais são suspeitos, durante desempenho de suas funções, de cometerem uma série de infrações penais e desvios ilícitos.

Os policiais civis cumpriram 16 mandados de busca e apreensão e 8 mandados de prisão temporária. Durante o cumprimento dos mandados de buscas, foram apreendidas porções de maconha, crack e cocaína, armas, munições, rádio comunicadores, celulares e toucas ninja. Um dos investigados também foi autuado, em flagrante, por tráfico de drogas.

Todos os mandados de prisão temporária, com prazo inicial estipulado em 05 dias, tiveram como alvos integrantes da Guarda Civil Municipal de Bebedouro.

O comandante da Guarda Civil Municipal (GCM), Luís André Rosa Junior, afirmou que a investigação teve início há oito meses, depois de uma série de denúncias feitas na Corregedoria da GCM daquela cidade, que os agentes se apropriavam de parte dos entorpecentes e dinheiro apreendidos nas ocorrências. André Rosa encaminhou o caso à Polícia Civil e ao Ministério Público Estadual, que acompanharam as investigações desde sua fase embrionária.

Comandante André esclareceu que “as denúncias vinham sendo feitas, desde o começo do ano, pelos próprios presos. Eles alegavam que alguns GCMs estariam praticando atos ilícitos, se apropriando de parte dos objetos, drogas e recursos financeiros que eram apreendidos. “Visto que nós não possuímos uma atribuição investigativa, nem condições de aprofundar a investigação, acionamos o apoio da Polícia Civil e do MP que, de imediato, acataram a nossa solicitação”, comentou o Comandante.

Aproximadamente 50 policiais civis das Delegacias Seccionais que compõem o Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior 3 (Deinter-3) em Ribeirão Preto e região, atuaram nas buscas. O nome atribuído a operação remete ao personagem da história brasileira Domingos Fernandes Calabar que, após o ingresso nas forças armadas portuguesas, traiu seus irmãos de armas para favorecer à invasão dos holandeses em diversas partes do Brasil.

Pautados em escutas telefônicas realizadas com autorização da Justiça, os investigadores descobriram o esquema envolvendo vários guardas civis. A partir das oito prisões realizadas na última terça-feira, a missão da polícia será identificar o nível de participação de cada agente no esquema criminoso e o envolvimento de outros agentes.

André Rosa ainda confirmou que os guardas presos já foram afastados dos cargos e um processo administrativo interno será aberto em desfavor deles, as punições poderão ir desde uma simples advertência até a exoneração do cargo. O comandante da GCM de Bebedouro, ainda ponderou que, “sempre prezamos pela retidão, mesmo porque enquanto entes de segurança pública, temos que dar o exemplo para a sociedade. Queremos uma Guarda Civil exemplo já que é uma instituição que presta serviços relevantes para a população, serviços que são comprovados e noticiados diariamente”, concluiu.                      

A Delegacia Seccional de Bebedouro informou que os agentes cumprirão prisão temporária por cinco dias, podendo ser prorrogada por mais 5 dias, ou ainda, transformada em prisão preventiva, se for o caso.

A investigação contra os agentes teve início há oito meses, depois que a Corregedoria da GCM passou a receber denúncias de que os guardas municipais ficavam com parte de drogas e/ou dinheiro apreendidos., ou seja, não apresentavam todo o entorpecente encontrado ou não apresentavam todo o dinheiro encontrado.

O trabalho de investigação da Polícia Civil que possibilitou a decretação dessas medidas cautelares teve início há mais de quatro meses e foi integralmente realizado pela Polícia Civil, sendo, inclusive, acompanhado, desde sua fase embrionária pelo Ministério Público, através do Dr. Fábio Constantine.

Ao final da tarde de terça-feira, após oitiva, DOIS guardas municipais foram liberados pelo Delegado de Polícia e responderão ao Inquérito Policial em liberdade. O GCM pego em flagrante delito por tráfico de drogas, foi recolhido ao CDP de Pontal, após audiência de custódia. Os demais continuam cumprindo prisão preventiva na Cadeia Pública de Bebedouro.

Segundo informações obtidas pelo Jornal Impacto, a Polícia Civil procedeu revistas em TODOS os armários, localizados na sede da guarda municipal, onde foi localizada uma porção de drogas e o GMC, proprietário do armário, foi identificado. Foi lavrado BO no plantão policial.

Erika Y. Muniz

 

 

 
Mais Notícias
 
19/10/2019 - Tota relata calvário vivido pelos pacientes do Hospital Municipal e lamenta situação de negligência

19/10/2019 - Secretário de Desenvolvimento Regional Marco Vinholi receberá o Título de Cidadão Bebedourense

19/10/2019 - Na tribuna livre Diretora da EMEB Stélio Machado Loureiro fala de conquista inédita para Bebedouro

19/10/2019 - Câmara Municipal realiza homenagem ao Dia dos Professores

19/10/2019 - CEREST e Ministério da Saúde realizam campanha Eletricidade Mata

19/10/2019 - Defesa Civil de Bebedouro participou do Dia D da Semana Nacional de Redução de Desastres

19/10/2019 - Mulher vai à Polícia Civil para se incriminar em suposto caso de duplo homicídio dos próprios filhos e acaba presa por tráfico de drogas

19/10/2019 - Municípios recebem R$ 312 milhões no segundo repasse de ICMS do mês

19/10/2019 - eSocial: saiba o que muda com a Carteira de Trabalho Digital

19/10/2019 - Rápidas da Política

Capa
Ofertas Sesé
Classificados
Lena Santin
Bebedouro Clube
Nando Domingues

© Copyright - Jornal Impacto/ 2019, Todos os direitos reservados - by + ideias Comunicação
Total de visitas do dia: 242
Total: 1.660.351